Como Escolher uma Corretora de Valores Para Investir na Bolsa

O número de reclamações contra corretoras de valores lideram os chamados de investidores na CVM (Comissão de Valores Mobiliários), o que me fez pensar em escrever este artigo, no intuito de ajudar você a escolher uma boa corretora de valores para ser sua parceira no seu projeto de investidor bem sucedido.

Mas o que é uma Corretora de Valores?

São sociedades financeiras, pessoas jurídicas, auxiliares do Sistema Financeiro Nacional que atuam como intermediárias de seus clientes na compra e/ou venda de títulos financeiros negociados na BMFBovespa.
Para que se constitua, a Corretora de Valores depende de autorização do BACEN (Banco Central do Brasil). O exercício de sua atividade depende de autorização da CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Além disso, elas são membros da BMFBovespa (Integração das operações da Bolsa de Valores de São Paulo e da Bolsa de Mercadorias e Futuros).

As corretoras de valores são mais conhecidas entre o público devido a sua atuação na Bolsa de Valores. Foram criadas com o intuito de administrar fundos e clubes de investimentos, operar por conta própria, ou por conta de seus clientes, em bolsa de mercadorias e futuros, prestar assessoria e consultoria em operações relacionadas ao mercado financeiro, entre outras.

Como uma corretora pode me ajudar a investir na bolsa de valores?

Teoricamente, e aqui que você deve tomar cuidado na hora de escolher uma boa corretora,estas empresas deveriam:

  1. Ajudar você a escolher as ações, de acordo com o seu objetivo financeiro. Na prática, nem todas elas fazem isso. Algumas nem dispõem desse serviço, ficando restrita apenas a disponibilizar o Home Broker, sistema fornecido pelas corretoras para conectar o investidor ao pregão da BOVESPA, que nem sempre são eficientes.
  2. Dar o suporte necessário para entender o funcionamento da Bolsa. Nesse aspecto algumas falham, principalmente aquelas que possuem uma baixa taxa de corretagem.
  3. Definir com você o seu perfil de investidor. Aqui nesse ponto algumas apenas disponibilizam um formulário para que você preencha, é uma obrigação das corretoras, são normas da CVM.
  4. Fornecer serviços facilitadores como o Home Broker (investimento via Internet), relatórios de recomendação de ações, informativos. Algumas corretoras, como a XP, a Octo corretora e a Ágora, possuem um bom serviço nessa área. Os grandes bancos comerciais também desenvolvem um bom serviço nesse aspecto. Não gosto de operar ações com bancos, eles não são especialistas, regra geral, em mercado de ações.
  5. Assessorar constantemente, através de especialistas que estão sempre atentos ao mercado. Mais uma vez aquele mesmo aspecto, os bancos e as corretoras com baixas taxas de corretagem pecam nesse aspecto.
  6. Avisar sobre novos produtos no mercado, garantindo a diversificação de seus investimentos. Aqui os bancos são especialistas, são vendedores, na maioria das vezes, de seus produtos. Só lembrar a crise de 2008, onde muitos deles eram meros vendedores de títulos considerados “podres”. Claro que existem excelentes bancos comerciais que prestam um bom serviço nesta área, mas conheço poucos.
  7. Informar sobre o recebimento de dividendos e outros bônus que as empresas pagam aos acionistas. A maioria das corretoras faz isso.

Como escolher a melhor corretora de valores?

Nem todas as pessoas são iguais. Nem sempre o que é importante para você, será para o seu melhor amigo. No meu caso, quando comecei a operar, não precisava de um bom Home Broker, já que meu objetivo era estudar e comprar ações para o longo prazo, era esse o conselho que os consultores me davam. Mas, à medida que fui estudando, fui vendo a diferença que fazia entre ser cliente de uma corretora de valores em vez de um banco.

Em minha experiência na agência em que era cliente, no ano de 2003, não tive contato com nenhum especialista. O gerente parecia saber menos que os investidores. Passava a sensação que eles só queriam vender o produto. Pareciam repetir sempre a mesma coisa: “Compre Petrobrás e Vale do Rio Doce, no longo prazo elas sempre sobem.” Depois vi que isso era um mito. Não é bem assim que o mercado funciona.

Voltando ao assunto, decida antes o que é importante para você, qual a melhor forma de interagir com a corretora, se será via telefone, internet, entre outros. Se você for operar como Day Trader, aqueles que compram e vendem ações no mesmo dia, às vezes mais de uma vez, aí você precisará ter uma conexão de internet muito boa, de preferência dois serviços, dois computadores, dois de tudo. E, acima de tudo, precisa ter uma linha de comunicação muito eficiente com a corretora. Muitas vezes o Home Broker fica fora de serviço e, quase sempre, é nesse momento que você tem uma operação necessitando ser encerrada com urgência. Aí você tenta contato com a corretora via mesa de operações, onde um operador executa suas ordens, e não obtém contato.

Como funcionavam as corretoras de valores no passado?

Isso aconteceu muito na crise de 2008. Era muita correria e as corretoras nem sempre estavam preparadas para tudo aquilo, na verdade parece que ninguém estava. Mas aí como você não consegue contato via telefone, terá que ver se a corretora disponibiliza serviço de chat e se eles atendem rápido.

A melhor forma de testar isso é, antes de se cadastrar, ligar e testar o atendimento. Não se esqueça de realizar um atendimento on-line e testar os mesmos serviços. Fiz isso ainda nesse ano quando mudei de corretora.

Porém, mais uma vez repito, tudo vai depender do seu perfil. Conheço pessoas que estão operando com bancos comerciais e estão muito satisfeitas, talvez por que não conheçam o que é operar com uma empresa especializada no assunto.

Decida quanto você vai aplicar na bolsa. Isso é importante por que se você vai aplicar valores abaixo de cinco mil reais, e for querer operar muitas vezes durante o mês, a taxa de corretagem poderá corroer sua rentabilidade.

Não se esqueça de perguntar se a corretora oferece cursos e palestras gratuitas. Algumas serão pagas, não tem problema, desde que atenda suas necessidades e seja de boa qualidade para você.

Ferramentas disponibilizadas pelas corretoras de valores

Veja se a corretora disponibiliza boas ferramentas, a principal delas é o Home Broker. Algumas empresas apenas oferecem o básico, que é comprar e vender ações, opções. Outras oferecem ferramentas gráficas, indicadores, fórum com outros investidores da corretora, chat com analistas, e tudo isso é muito importante para quem está começando.

Hoje em dia muitas corretoras também estão disponibilizando em seus home brokers a compra de títulos públicos. É mais uma comodidade para o investidor, já que ele não terá mais que entrar no site do Tesouro Direto para comprar os referidos títulos.

E com o avanço da tecnologia, muitas empresas estão disponibilizando aplicativos para smartphones. No início do ano, quando estava procurando uma nova corretora, busquei por esse serviço. Estava interessado em fazer operações de Day Trade com opções, não aconselhável para inciantes (nem veteranos sem tempo disponível), e não encontrei um bom serviço. As corretoras apenas disponibilizavam operações com ações.

Taxa de corretagem

Aqui mora o canto da sereia. Muitas pessoas são levadas por uma baixa taxa de corretagem e depois se arrependem. A economia do mercado, e da vida em geral, é muito simples. Nem sempre é possível prestar um bom serviço, com altos custos, se você não possui uma receita para cobri-los.

Decida o peso que essa taxa terá nos seus investimentos. Existem dois tipos de taxa de corretagem. A fixa, que será cobrada por cada ordem executada, independente do valor, e a variável, você irá pagar de acordo com o valor operado. Há uma tabela no site da BOVESPA onde você poderá ver todas as taxas cobradas.

A corretagem fixa pode chegar a variar entre R$ 2,50 e R$ 50,00 dependendo da corretora. Vamos dar um exemplo hipotético de taxa fixa de dez reais. Se você comprar mil reais de ações, vai pagar R$ 10,00 de corretagem, e se um outro investidor comprar cem mil reais de ações, vai pagar os mesmos R$10,00. Isso faz uma grande diferença, já que, para você, a taxa será proporcionalmente mais elevada. Ou seja, você terá que ter uma rentabilidade mais alta que o outro investidor para obter lucro na operação e ainda pagar as taxas, que não serão somente as de corretagem, ainda temos emolumentos, taxa de custódia e outras. .
Além disso, veja as taxas para operar em outros mercados, como o mercado futuro, fracionário, opções e outros.

Taxa de Custódia

É a taxa cobrada mensalmente para armazenar os títulos ou ações de um investidor. Hoje em dia, a maioria das corretoras não cobra. Outras cobram apenas se não houver ordens executadas no mês. As demais cobram independente da quantidade de ordens. Os valores podem variar de 5,00 até 20,00 por mês, por exemplo. Mas não é difícil encontrar corretoras de valores que não cobram essa taxa.

Tesouro Direto

Existem algumas corretoras de valores que não cobram custódia para Títulos Públicos, por outro lado, algumas cobram mais de 0,5% a.a, taxa que pode corroer a já reduzida rentabilidade desta aplicação financeira.

Já sobre Taxa de Saques, que pode incidir quando o cliente solicita saques de sua conta, não encontramos muitas corretoras cobrando, mas é sempre bom verificar esse aspecto antes da sua escolha.

Mas qual a corretora de valores indicada por você?

Para investir em ações pela internet, por meio de um sistema de home broker, você pode começar com a Clear ou a Mirae. Para investir em títulos públicos, prefiro a Easynvest ou a XP Investimentos, que não cobram taxa de corretagem.


Lembre-se sempre que investir tempo à procura de uma boa corretora pode fazer toda diferença no seu nível de stress no futuro. Leia bons livros antes de começar a investir no mercado.